Nos últimos anos deixei de apreciar tanto o Natal, o consumo de energia aumenta em muitos países. Infelizmente, não é só devido a fria temperatura ou às noites longas, no caso dos países nórdicos, mas devido às luzes e a outros equipamentos eletrônicos “natalinos” que estão por toda parte, consumindo os recursos do planeta como se fossem infinitos. Mas, não deveríamos estar nos tornando mais conscientes sobre o consumo destes recursos? O que estamos decorando? Ou será que estamos encobrindo?

A energia consumida não é só das “luzinhas” típicas natalinas para enfeitar as casas e cidades, mas também a utilizada para fabricar todos os bens de consumos produzidos especificamente para essa época do ano, como por exemplo, os artigos de decoração e os papéis de embrulho, estes serão descartados logo após a abertura dos presentes. Descartável, esse deveria ser o nome da era na qual nos encontramos: DESCARTÁVEL, na qual, quase nada se conserta, mas se descarta e se substitui.

Não sei se é o fato de estar em Londres neste Natal, mas nunca estive tão sensível em dezembro. O que observo a minha volta é consumo, consumo, consumo, compras de natal.  Relembro a pergunta de um post anterior: O que tem de errado conosco? Aumentando o consumo de energia, quando acabamos de ser alertados que precisamos diminuir drasticamente e imediatamente!? Também me impressionei com a quantidade de árvores frescas que as pessoas compram por aqui, estou ciente que a árvore de plástico também não é sustentável se utilizada por menos de 20 anos, mas milhões de “Christmas Trees” foram produzidas e cortadas só na Inglaterra, para enfeitar casas por uma média de 20 dias!?  O Natal não deveria ser a celebração do amor?  Onde está o amor com o planeta nesta época? e com a pessoas mais necessitadas?

Sim, no Natal, os projetos de caridade também conseguem arrecadar mais fundos, mas quanto será que uma pessoa doa, proporcionalmente ao que ela gasta com presentes de natal/bens de consumo?  Reflita! Precisamos de todos esses presentes ou queremos? Não estou me excluindo de toda reflexão não, entretanto tento ser coerente com o que eu escrevo e acredito, todos os dias eu luto, pensando nos efeitos locais e globais das minhas escolhas.

Enfim, este post foi um desabafo! Por estar longe de casa e dos familiares tenho mais tempo para refletir, e quanto mais estudo e procuro me informar sobre os fatos, mais percebo que o capitalismo não faz sentido e nos torna prisioneiros. Enquanto este sistema perdurar, o mundo com certeza não vai melhorar.

Você PRECISA ou QUER?

Por estar sensível e por curiosidade fui procurar o significado na palavra natal. Aqui está: 1. Ref. a nascimento; NATALÍCIO. Confirmei que originalmente essa era a data que se celebrava o nascimento do “Deus Sol Invicto”, solstício de inverno (hemisfério norte). Aliás, em culturas distintas encontram-se mitos sobre o nascimento de diversas entidades, no dia 25 de dezembro.  Mais informações podem ser encontradas na internet ou no filme no controverso Zeitgeist o filme.

May East reflete sobre um Natal não capitalista, mas um que celebra a diversidade cultural, espiritual e ecológica. http://tinyurl.com/qhgmkfz