A economia solidária propõe um modelo econômico alternativo ao capitalista. Durante nossa viagem de re-Conhecimento do Brasil, iremos contar não só com a generosidade e solidariedade das pessoas, mas também pensamos em propor trocas. Por exemplo, nosso sonho sempre foi conhecer a Amazônia, mas o custo para explorá-la pode ser relativamente alto.  Uma das pousadas que foi sugerida pelo nosso guia “Lonely Planet” foi a Bela Vista em Novo Airão, uma pequena cidade que fica cerca de 180km de Manaus. Pensamos que deste local seria mais fácil vivenciarmos um pouquinho da floresta amazônica, já que os arredores incluem o Parque Nacional do Jaú e o Arquipélago de Anavilhanas. O site deles estava bem desatualizado, então propusemos uma troca: o Gustavo melhoraria o site em troca de acomodação para nós. Eles toparam! Em 10 dias, muito mais que serviços, nós acabamos conhecendo melhor a realidade daquele lugar e de suas pessoas. O Claus e sua mulher, proprietários da pousada, e os funcionários nos receberam muito bem. Conseguimos também com outros dois hóspedes, passar 10 horas vivenciando os arredores daquela região, por meio de barco e de trilhas. Foi mágico, literalmente! Além, disso o Claus, sabendo do nosso projeto, nos apresentou a Fundação Almerinda Malaquias (FAM), e logo marcamos de visitá-los. Na pousada Bela Vista, usufruímos diariamente não só da belíssima vista e do Rio Negro, mas também de suas águas, nadamos diariamente no Rio Negro. Conhecemos muitas árvores frutíferas no jardim da pousada, vimos iguanas tomando sol e caranguejeiras que visitavam uma parte da pousada frequentemente. Resultado, esse escambo ultrapassou a troca de serviços, desenvolvemos um laço afetivo com eles, o que enriqueceu muito mais nossa experiência. Olhem como ficou o site: http://pousada-belavista.com, aliás eu recomendo eles para vivenciarem a Amazônia de maneira mais personalizada.  Obrigada Claus e Meire por toparem essa troca!